Dia Internacional da Língua Materna - Um Património Cultural a Defender

21 de Fevereiro

1819LM

21 de Fevereiro é o Dia Internacional da Língua Materna. Foi proclamado pela UNESCO como memorial para “promover a diversidade e o multilinguismo linguístico e cultural”.
Com a celebração do Dia da Língua Materna, pretende-se manter viva a consciência das tradições linguísticas e culturais. A visibilidade de um espaço cultural manifesta-se através da língua e das suas marcas.

A Língua Materna é a primeira língua que aprendemos, desde o nascimento e é, por isso, a língua que geralmente dominamos melhor. Ao aprendermos outras línguas estamos a aprender a interpretar o mundo de forma diferente, porque cada país tem a sua língua e cultura.

Aprender novas línguas não implica deixar de dar importância à nossa identidade linguística e cultural, muito pelo contrário, fazer uma coisa não implica deixar de fazer a outra.
É importante alertar para a disciplina de Português como Língua Estrangeira (PLNM) no contexto da escola. Cada falante de língua estrangeira que se dedica à aprendizagem do Português constitui um enriquecimento da língua, ajudando a manter a sua riqueza e diferenciação das outras.
A ESFRL promove e contribui para o plurilinguismo no mundo e os testemunhos dos seus alunos de PLNM são uma prova viva.
“ A nossa língua materna é a primeira que nós aprendemos e que nos acompanha para toda a vida. Quando mudamos de país e aprendemos outras línguas, a materna torna-se ainda mais importante. A minha língua materna é o italiano e não posso não deixar de adorar essa língua, tão musical! É uma língua românica, e como todas desse grupo ouvi-la, é bonito.
No meu intercâmbio em Portugal estou a aprender outra língua fantástica: o Português, interessante nas suas palavras. Estou a adorar falar esta nova língua, mas o meu cordão umbilical continua ligado ao italiano, à sua gramática, ao deslumbre da minha infância, apesar da beleza do Português.”
Federica D’Amicis.
“A língua que aprendemos desde a infância é provavelmente um dos maiores valores que temos. Trata-se de uma riqueza inestimável que só compreendemos quando vamos para um outro país. A saudade que tenho da minha língua, o italiano, é imensa. Sair e deixar tudo para trás foi uma escolha difícil que tive de fazer. Significou deixar a minha família e os meus amigos mas significou também deixar a minha língua, uma língua romântica e musical que enche os corações mas que agora mais do que nunca, aumenta o meu vazio, porque, por exemplo, exprimir-me em italiano seria muito mais simples, mais natural. Mas não posso, agora é tempo de encher o meu coração com uma nova língua. São muitas as dificuldades que temos quando aprendemos um novo idioma, pois sentimo-nos incapazes de exprimir o que sentimos com novas palavras. Mas será que estas novas palavras podem tornar-se parte nova do meu coração? Será que vou gostar do português tanto como do meu adorado italiano? Ainda não tenho uma resposta mas há já um lugar português no meu coração.”
Valeria Eni
“Halló!
A minha língua materna, feroês, é uma língua muito difícil. Só 80.000 pessoas falam esta língua. Eu gosto muito de aprender novas línguas e sei falar quatro, mas eu vou sempre preferir a minha língua materna.
Eu não falo muito bem português, mas eu gosto muito desta língua, e eu quero falar bem esta língua latina, antes de voltar ao meu país.”
Brynhild Johannessen

Cursos Profissionais

  • Informa-se que a pauta referente às classificações dos exames da fase de junho/julho, dos Cursos Profissionais já se encontra afixada e pode ser consultada no local habitual. (novo)