Leitura à solta, palavras a monte no Estabelecimento Prisional de Leiria entre os dias 20 a 24 de março

As docentes Diana Fonseca e Isabel Gomes trabalharam as obras que mais sustentaram a Semana da Leitura: A Selva de Ferreira de Castro e Pena Suspensa de Fernando Pinto do Amaral. O primeiro para articular conhecimentos que seriam veiculados através da Exposição Ferreira de Castro da Biblioteca Municipal de Leiria, o segundo porque prontamente se disponibilizou para vir celebrar connosco a efeméride, porque escreveu e acredita veementemente que Todos, nós e os outros, (aqueles que temporariamente vivem por trás dos muros) têm uma Pena Suspensa. Assim, os alunos tiveram oportunidade de conhecer a importância que o autor assume na Literatura Portuguesa enquanto representante do neorrealismo. As realidades duras e cruas persistem nos nossos dias, apenas os contextos e as personagens mudam, porém, corroboram que o tempo é mais circular do que linear, provando a atualidade da obra, nomeadamente, A Selva. No decorrer das aulas aprenderam-se factos da vida e leram-se excertos com uma linha construtora de sentidos para, durante o dia 24, assistir-se ao filme A Selva (2002) de Leonel Vieira.

 Neste âmbito, na tarde do dia 20, Dia Internacional da Felicidade, um grupo de alunos esteve envolvido no Lescrita, Ateliê de leitura e escrita criativas, cujos principais objetivos foram enfatizar a importância da expressividade da leitura e da escrita, reconhecer o poder da palavra emocionada e constatar o poder catártico da escrita. Foram diversas as dinâmicas, atividades e desafios, pelo que o balanço foi francamente positivo.
Durante a tarde do dia 21, Dia Mundial da Árvore e da Poesia, a convite das docentes, o EPL recebeu o Grupo Amigos das Letras de Alcobaça que brindou toda a comunidade com a declamação de poemas escritos pelos alunos, os quais se encontravam disponíveis na Árvore da Poesia, intercaladamente, declamavam poemas de sua autoria, uma vez que todos os poetas têm já obras publicadas, e ainda encantaram com o canto de árias de ópera. A atividade trouxe a alegria, o colorido e o carinho para dentro do coração de todos nós e revelou que a arte nos torna genuinamente mais humanos e felizes. Não obstante, urge referir que a atividade começou com a plantação de árvores pelos alunos da turma de Jardinagem juntamente com os elementos do Grupo Amigo das Letras. Os convidados deleitaram-se com os retratos de Fernando Pessoa e José Afonso feitos por um aluno do EPL.
Na tarde do dia 22, Dia Mundial da Água (e como caiu!) a magia aconteceu e a plêiade tomou conta da Capela de Nossa Senhora de Fátima do EPL! De facto, foram muitos os poetas e, mais ainda, foram aqueles que prestaram homenagem aos poetas que engrandecem as letras. Permitam-nos nomear que estivemos TODOS de mãos enlaçadas, gargantas afinadas e corações em uníssono em torno do alimento da alma, do pensamento e do porvir.
No fim, os aplausos de todos para todos, a gratidão pela cooperação e a nossa mensagem, que tanto nos emocionou, para os “nossos rapazes”!

A vida não se condói com a poesia,
mas devia…
Sentimos e lemos a tua dor no teu olhar…
nos gestos e nas palavras dos dias amargos…
dos dias em que não suportas as nossas diretrizes,
dos dias em que não consegues
achar sentido no que te dizemos…

Ralhamos, ralhamos e castigamos,
mas no fundo estamos contigo.
Contigo aprendemos muito mais
do que a nossa sociedade diz
no seu quadro e com o seu giz
porque risca e volta a riscar
apenas para se fingir feliz!

Mas nós sabemos que nem sempre
é verdade o que o seu giz diz
por isso aqui estamos
e é de nós para ti e, quiçá, de ti para nós,
que reescrevemos com um outro giz.

Para reencontrar o equilíbrio perdido dos dias
Aqui estamos,
Mostrando que não é verdade que ele é indizível.
Dizemos-te, por fim, que haverá sempre “um pouco mais de sol”
e “um pouco mais de azul” e que acreditamos que não voltará a faltar-te
O tal “golpe de asa”!


As professoras de Português: Diana da Fonseca e Isabel Gomes